segunda-feira, 28 de outubro de 2013

O bom ladrão, o livro

por Luciano,

Na disciplina de Português a professora sugeriu que lêssemos o livro “O Bom Ladrão” de Fernando Sabino, após duas semanas de leitura optamos por fazer uma avaliação dividida em partes, no caso a primeira parte era escrita onde juntamos provas que incriminassem Dimas ou Isabel que eram personagens do livro onde estavam sendo acusados de uma série de roubos.

Formamos duplas que deveriam  juntar 5 provas para Isabel e 5 para Dimas,após juntarmos todas as incriminações fizemos um “julgamento” onde cada dupla defendia uma das pessoas com as provas que juntaram.

Eu e minha dupla defendemos Dimas e incriminamos Isabel e a professora chamou pessoas para gravarem o "julgamento", para depois passar para a turma assistir.


Os roubos eram de um livro e uma colher onde Dimas, que  era apaixonado por Isabel, não confessava que ela era a culpada de tudo e com isso acabava se culpando também. 

domingo, 27 de outubro de 2013

Estudantes do Aplicação na 1ª FEBRAT

Por José Carlos,

No período de 21 a 24 de outubro,  estudantes e professores do Colégio de Aplicação-UFSC participaram da 1ª Feira Brasileira de Colégios de Aplicação e Escolas Técnicas, em Belo Horizonte - MG. No evento participaram pesquisadores do Ensino Fundamental e Médio. O projeto Pés na Estrada contou com os seguintes trabalhos: 


Estudante-pesquisador
Turma
Trabalho
Orientador
Carol Gomez
2º. C
As faces desconhecidas das Inconfidentes.


Fernando Leocino da Silva
Eryck Schmitz
2º. B
Julia Pozzetti
1º. D
Os santos não falam do céu.
Luiz Henrique Nicolau
1º. C
Daniele Cristina Dias
9º. A
“O que se vê pode não ser!” Mídia e MAB no entendimento dos moradores de Itá (SC)
Laís Prudêncio Scheffer Silva
9º. C
Ricardo Munarim Kruger
9ºA
Construção  da Usina Hidrelétrica Itá: um estudo sobre os impactos sociais e ambientais
José Carlos da Silveira
Maria Eduarda V. Caetano
9ºC
Giulia Gaia Peres Pereira
9ºB
Aspectos econômicos de itá: fontes de renda pós construção da uhe itá


Lisiane Vandresen
Maria Luiza dos Santos Rosa
9A
Bruna Schiavini Hoepers

Legislação para a construção de hidrelétricas: será que as leis estão sendo realmente cumpridas na uhe itá?
Lesliane Lacerda dos Santos

Isabela Popenke Paes
9°A
Impactos sociais da UHE Itá: como os cidadãos reagiram à construção da hidrelétrica


Giselle de Souza Paula Pires
Luiz Felipe Domingos
9ºB
Maria Eduarda Sirydakis

Reportagem: aproximando sala de aula e pesquisa de campo

Nara Caetano Rodrigues
Natália Dias Goulart



























Parabéns a todos pelo envolvimento!


















Por um pedaço de Terra

por Nadjini,



Conta a história de um garoto chamado Júlio, que começou a trabalhar como fotógrafo para o MST ( Movimento Sem Terra).  Então, Júlio começa a se entrosar mais com os integrantes do movimento, começa a aprender mais sobre todo o caminhar que já passaram e passam,  todas as dificuldades e decepções.

Começa a perceber também que são pessoas que sofrem muita violência, tanto verbal como física, pelo fato  de tanta gente não conhecer sua história, e simplesmente julgá-los por sua aparência ou por não saberem o motivo certo da existência do movimento sem terra. Muitas pessoas ainda acham que os integrantes do movimento, são apenas “baderneiros”, não sabem que são pessoas que estão apenas lutando pelos seus direitos.



Após ter presenciado a primeira violência que aconteceu por conta dos jagunços, que são pessoas contratadas para matar  os índios e as pessoas do movimento, Júlio começa a fotografar tudo o que acontece. Quando no desenrolar da história, Júlio vai para o Sul do Pará para fotografar o MST durante a manifestação, presenciou muitas violências e mortes. Júlio foi o único que  registrou todo o conflito. Após toda a manifestação ter acabado, voltou a São Paulo pra perto de sua família. Mandou todas as suas fotos para revistas que tratavam dos MST, e logo, após o mundo ter reconhecido  tal violência contra o MST, Júlio ficou famoso pelo fato de ter fotografado toda a história deles, e ter vendido as fotos para revistas.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

“O Aleijadinho - Paixão, glória e suplício”, o filme.

por Laís,

  Filho de mãe negra e pai branco – português, já artista -, Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho, era um garoto que desde jovem ajudava seu pai a construir esculturas em pedra-sabão, descobrindo o talento que tinha, e que seria sua profissão para o resto da vida.

  O enredo do filme foi guiado por Rodrigo José Ferreira Bretas, onde vai até a casa da sogra de Antônio para conseguir informações para a biografia que iria fazer do mesmo. A partir daí a história do artista – agora – tão consagrado passa a rodar nas telas de TV’s das nossas casas.

  Por ser filho de mãe negra, Antônio convive desde pequeno com a escravidão. Já jovem, o artista decide se manifestar, e falar ao pai que não concordava com a situação dos mesmos.
  Aleijadinho começa a ser conhecido. Esculpe interiores de igrejas, estátuas e realiza obras a mando da Coroa.

 Com seus – aproximadamente – 30 anos, uma doença começa a se manifestar. Seus dedos das mãos e dos pés se atrofiam, e em função da dor, ele decide cortar alguns dos mesmos, o que fez com que se tornasse cada vez mais difícil a realização de seu trabalho.
  Seus ajudantes amarravam as ferramentas em suas mãos, mas a fraqueza, a agressividade e a vergonha, o estavam atrapalhando.

  Aleijadinho morre aos 76 anos, sendo que em dois  desses,  esteve trancado em seu quarto, sofrendo a cada dia, ao lado da imagem de Cristo – pela qual rezava todos os dias.

A proposta de assistirmos esse filme foi feita pela professora Lisiane – Língua Portuguesa --, já que na semana seguinte iriamos até Ouro Preto, onde apreciaríamos algumas obras do Aleijadinho e conheceríamos o espaço onde ele nasceu, viveu e morreu.

Já entrando no embalo da trama, resolvi que iria falar um pouquinho mais sobre suas obras nas linhas seguintes...

Bom, como eu já disse no resumo do filme, Aleijadinho era um homem que após se tornar conhecido, tornou a fazer obras a pedido da Coroa. Essa imagem ao lado é um exemplo, pois foi encomendada pelo governo português para a procissão de Corpus Christi.

A  escultura  abaixo, de São Jorge, que fica exposta no Museu da Inconfidência – em Ouro Preto, MG -,  tem uma história bastante curiosa e engraçada... Dizem  que quando Aleijadinho estava entrando na sala do governador - para a encomenda da mesma-, ele foi recepcionado por Antônio Romão - chefe de gabinete -, mas como Aleijadinho já aparentava deformações, é olhado com cara feia. O artista então decora suas feições, e resolve fazer o Santo com a cara irônica do homem. É provável que na hora da entrega houveram várias risadas descontroladas...


Além disso, dizem que no meio dessa procissão, o cavalo que a carregava se assustou, parou bruscamente, e sua lança atravessou o peito do escravo que guiava o animal. Como todo condenado, a estátua também teve sua pena, e foi levada para a prisão – onde permaneceu por muito tempo.

Também em Ouro Preto, fica situada uma igreja planejada e ornamentada por Aleijadinho, no estilo rococó. O interior da mesma é incrível, todo detalhado, tendo a capela-mor esculpida na madeira, com pintura folhada a ouro, e uma sacristia com peças de pedra-sabão.  


Referências:

http://jornalvozativa.com/noticias/?p=8543.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Corujas

por Gabriela,

Conhecidas por todos como pequenas aves indefesas, as corujas mostram que são animais perigosos quando se trata em caça, filhotes e reprodução. São denominadas também, por terem um grande significado quando se trata de sabedoria.

As corujas são aves noturnas, consideradas tímidas, solitárias, simbólicas, discretas e com o voo silencioso, devido as suas penas leves, que facilitam na caça. São encontradas em quase todo o mundo, inclusive no Brasil, onde existem apenas 18 espécies, dentre 126, que na maioria habitam a Groenlândia.

É um animal que se alimenta de  pequenos mamíferos(como ratos e camundongos), insetos( como gafanhotos, grilos, aranhas) etc. Costumam engolir suas presas inteiras para depois vomitar o que não aproveitam,  como penas e pedaços de ossos. É considerada esperta por não facilitar a vida dos seus predadores.

Possuem olhos enormes, uma visão muito boa, conseguindo enxergar em ambientes de pouca luz. Quando está em perigo, sua cabeça gira até 180 graus e pode ser projetada para cima.

Durante o período de reprodução, o macho, em troca do acasalamento, oferece a fêmea, uma presa. Se ocorrer a aceitação, acontece a procriação.  A fêmea põe 5 ovos e os filhotes começam a voar  75 dias depois de terem nascido.  As espécies maiores de corujas são capazes de viver  20 anos.

Na filosofia, são tratadas como o símbolo da sabedoria e do conhecimento, devido a Deusa grega da razão, Atena, representada por uma coruja na Grécia Antiga.

Porém, para alguns povos distantes, são consideradas sinais de má sorte, bruxaria e maldições, por só voarem no período da noite, onde saem das tocas cavadas para caçar.
Para mim, são aves incríveis. Me identifico e são sinal de sorte. Procuro aumentar a minha coleção de objetos, sejam colares, estátuas, etc.

 
Essa é a minha pequena coleção, que ao decorrer do tempo vai aumentando.



fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Coruja

http://www.recreio.com.br/licao-de-casa/voce-sabia-que-a-coruja-troca-o-dia-pela-noite

sábado, 12 de outubro de 2013

Projeto de Iniciação Científica: Pés na Estrada do Conhecimento

 por Nadjini,

Faço parte do projeto de Iniciação Cientifica do Colégio de Aplicação, desenvolvido nas oitavas séries, desde 1999, com o objetivo de estimular a prática da pesquisa orientada no Ensino fundamental. Ele é desenvolvido em duas etapas. Na primeira viajamos em pesquisa para Itá (SC), e a segunda para algumas das cidades de Minas Gerais. Todo esse trabalho é acompanhado por um professor/orientador que nos ajuda e nos orienta no que é necessário. Para dar suporte aos projetos de pesquisa temos as aulas de Iniciação Cientifica que acontecem semanalmente em nossa grade de horário escolar. Nessas aulas nós conversamos e trocamos ideias com nossos orientadores, tiramos dúvidas, construímos os trabalhos e seguimos com a pesquisa.

 A primeira etapa de nossas atividades é sobre as construções de uma usina hidrelétrica em Itá. Nós viajamos para lá com o objetivo de compreender  mais sobre as questões das usinas hidrelétricas, das barragens e do ponto de vista dos moradores sobre a questão de suas construções. Com o seu desenvolvimento nós entrevistamos moradores, tiramos dúvidas e conseguimos entender melhor a vida, as perdas e ganhos que passaram durante o processo de construção da usina e da barragem.

 A segunda etapa trata-se de estudo sobre Minas Gerais. Nesse momento se constrói um novo projeto desenvolvido em busca do conhecimento de outras realidades. Antes da viajarmos escolhemos um assunto dentro da temática "O Brasil colonial no século XVIII: representações da construção e organização da sociedade brasileira". Eu e meu grupo resolvemos pesquisar  sobre "O ícone da arte barroca: Aleijadinho", pois nos chamou a atenção a vida desse grande escultor da arte barroca. Viajamos para  Ouro Preto, São João D'El Rei, Mariana e Tiradentes com algumas metas. Procuramos imagens, pesquisamos, fizemos vídeos com o objetivo de construir um documentário para retratar parte da vida desse importante artista brasileiro chamado Antonio Francisco Lisboa - mais conhecido como Aleijadinho. Ele que apesar de todas as dificuldades e limitações de uma doença degenerativa não desistiu de sua arte.





quinta-feira, 3 de outubro de 2013

The Walking Dead - opinião

por Luciano,


The Walking Dead (Os Mortos-Vivos, em português) é uma série que foi produzida por Robert Kirkman e o desenhista Tony Moore em 2003 nos Estado Unidos.

Começou com quadrinhos que fez sucesso, com isso decidiram fazer uma história na televisão.

Com três temporadas e a espera da quarta, que chega em Outubro, The Walking Dead é considerada hoje uma das melhores séries dos últimos anos. Fala sobre o apocalipse zumbi. 

É centrada num policial, cujo  nome é Rick Grames, que iniciou a série a procura de seu filho e sua mulher e com o tempo ele os encontra e consegue montar um grupo forte para combater os zumbis.

Ele passou pela fazenda de Hershel, que é um homem que acredita muito em Deus, e sua família conseguindo uni-los a seu grupo e assim foram a procura de um abrigo, e depois de tanto viajar enfrentando zumbis encontraram uma prisão, limparam a prisão e se abrigaram ali.


Recomendo assistirem a série pois é muito boa mesmo, na minha opinião é a melhor do mundo.

Créditos da imagem: