sábado, 31 de agosto de 2013

Foi por pouco

por Gabriela,

 Ano passado, na disciplina de Estudos Latino-americanos, tivemos que, para uma atividade, escrever uma pequena história retratando a vida de um usuário de drogas ou do traficante ou do policial ou do familiar do usuário. Acabei escolhendo fazer pelo ponto de vista de um familiar, que no caso seria a mãe de um usuário.

Acordo cedo todo dia para trabalha na venda da esquina, onde os usuários ficam. Sempre olho para ele, há traficantes , usuários e droga para todo lado. Meu filho, Cleiton, entrou na droga com 13 anos, e hoje com 20 e o líder do Morro do Tatu. Eu quase nunca via ele, somente quando precisava de dinheiro ou abrigo.Mas teve um dia que eu pensei que havia perdido ele para sempre.


Estávamos saindo de casa quando a “gang” rival começou a atirar em tudo, em todos. Meu filho me levou até um beco, onde ele achava que eu ficaria viva. Ele me deixou lá e uns amigos lhe deram umas armas. Só conseguia ver os traficantes que estavam nas lajes. O barulho de tiros, o choro de mães tentando salvar seus filhos me deixou preocupada. Havia muitas armas no chão, peguei uma e me escondi de novo no beco. Os rivais estavam sem camisa, então foi fácil saber em quem podia atirar, e nos que não podia. Eles passavam correndo e eu atirava, mas, após alguns minutos, um me viu e veio atrás de mim. Meu filho já deveria estar morto. Apesar de inteligente para as drogas, não sabia se defender. E, por sorte, não deu um minuto e Cleiton apareceu. Ele atirou, mas o rival era rápido e atirou o dobro de vezes em menos tempo. Eu tinha uma faca no bolso, peguei-a e o esfaqueei. Isso deu tempo ao meu filho. Ele saiu dali, mas, uma maré de azar dominou-nos, e  o corte não provocou nada no homem que, em segundos, pegou uma arma e atirou inúmeras vezes em Cleiton. Meu bebê, que não é mais um, foi para o hospital e conseguiu sobreviver.

A Saga Crepúsculo : Crepúsculo + Lua Nova + Eclipse + Amanhecer Parte 1 + Amanhecer Parte 2

por Bruna,

Foi através de um sonho de Stephenie Meyer, em junho de 2003, que a saga foi criada: Uma jovem falava com um homem lindo numa campina ensolarada. Ele era um vampiro. Eles estavam apaixonados e ele dizia como era difícil evitar matá-la.  Stephenie Meyer é uma escritora americana nascida em Hartford, Connecticut, na véspera de natal dia 24 de dezembro de 1973, filha de Stephen Morgan e Candy. Cresceu em Phoenix com cinco irmãos. Casou-se com Christian em 1994. Juntos têm três filhos: Gabe, Seth e Eli.  Cursou literatura inglesa na Universidade Brigham Young onde se formou em 1995.

Crepúsculo

Isabela Swan vai morar com seu pai o chefe de polícia Charlie Swan em Forks. Na escola ela fica fascinada por Edward Cullen um garoto que esconde um segredo conhecido apenas por sua família. Eles se apaixonam. Edward sabe que quanto mais avançam no relacionamento, mais está colocando Bella e as pessoas em sua volta em perigo. Quando ela descobre o segredo, ela age contra todas as expectativas e não tem medo da sede de sangue de seu grande amor, mesmo sabendo que ele pode mata-la a qualquer momento.

Lua Nova

Bella completa 18 anos então Edward decide deixá-la para protegê-la. Com tristeza Bella descobre que pode chamar a imagem de Edward sempre que se coloca em perigo. Seu desejo em estar com ele a qualquer custo. Com a ajuda de Jacob Black seu amigo de infância e um membro da misteriosa tribo Quileute ela reforma uma moto para suas aventuras. Quando Bella perambula sozinha ela se vê cara a cara com um mortal, claro que ela ainda está em perigo. Em uma corrida contra o tempo descobre o segredo antigo da tribo e a verdadeira motivação de Edward para sair de sua vida. Ela enfrenta uma reunião com seu amado que acaba sendo muito diferente e mais perigoso do que ela esperava.

Eclipse

Tudo começa com uma escolha. Bella mais uma vez encontra-se rodeada de perigo. Seattle está sendo devastada por uma sequência de misteriosos assassinatos e um malicioso vampiro continua em sua busca por vingança. Em meio a tudo isso, forçada a escolher entre Edward e Jacob, sabendo que sua decisão tem poder de incendiar a luta entre os vampiros e os lobisomens. Bella tem que enfrentar a decisão mais importante da sua vida.

Amanhecer Parte 1

 O casamento de Bella Swan e Edward Cullen é cortado abruptamente quando umas traições e ameaças acabam por destruir a paz do casal.
 Após o casamento, Bella e Edward viajam até Rio de Janeiro para a lua de mel, onde finalmente se entregam. Bella logo descobre que esta grávida, e durante seu difícil parto, Edward realiza seu desejo de se tornar imortal.

Amanhecer Parte 2

Após dar a luz a Renesmee, Bella Swan desperta vampira. Precisando  aprender a lidar com seus novos poderes. Devido ao elo existente entre eles Jacob passa a acompanhar com bastante atenção o desenvolvimento de Renesmee o que faz com que se aproxime cada vez mais dos Cullen. Aro, informado por Irina da existência de Renesmee e de seus raros poderes, acreditando que seja uma ameaça em potencial para o futuro dos Volturi, passa a elaborar um plano para atacar os Cullen e eliminar a garota de uma vez por todas.

Já li a saga umas cinco vezes e vi todos os filmes pelo menos umas 3 vezes. A historia é linda demais. Amo a saga.

Fontes –

http://pt.wikipedia.org/wiki/Twilight_(s%C3%A9rie)
http://www.submarino.com.br/produto/113786417/kit-blu-ray-a-saga-crepusculo-crepusculo-lua-nova-eclipse-amanhecer-parte-1-amanhecer-parte-2?opn=GOOGLESEARCH&WT.mc_id=DSA_googledvds&WT.srch=1&epar=G18551&gclid=CIOV2pbQhLkCFRGg4AodPzgAlg


quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Droga Eletrônica

por Fillipe,

O uso do celular e do computador entre jovens vêm aumentando a cada dia. No Colégio de Aplicação, (localizado em Florianópolis, SC, Brasil), essa pesquisa comprova o fato, e anuncia consequentemente muitos problemas.

Nos dias atuais cada vez mais pessoas usam celulares, esses nem sempre são para utilizar as funções básicas, como telefonar ou mandar mensagens, mas sim para usar a internet e outros aplicativos disponíveis. Hoje em dia, no auge da alta tecnologia e com a grande facilidade de adquirir aparelhos eletrônicos, a maior parte da população utiliza-os em excesso, principalmente os jovens. No Brasil cerca de 115,4 milhões de pessoas com idade acima de 10 anos possui um celular para uso pessoal, segundo o IBGE. O uso irracional traz consequências que afetam não somente o aprendizado, mas também a vida social do indivíduo.
Em pesquisa realizada por dois alunos (Fillipe A. e Sofia) do 9º  B,  do Colégio de Aplicação/UFSC,  com os demais alunos, vimos que cada vez vem aumentando o tempo em que os adolescentes utilizam os aparelhos eletrônicos.  Já com 11 anos as crianças passam em média 8 horas por dia; com 12 passam em média 7 horas; com 13 o nível é um pouco menor, com 5 horas; com 14 o uso é de 4 horas por dia e com 15 já aumenta para 9 horas.  Muitas das pessoas pesquisadas dizem que estão ficando viciadas, como mostra no gráfico abaixo.

Gráfico representando a resposta dos alunos em relação ao vicio ao aparelho eletrônico:
  


 Além de usar os aparelhos para entretenimento, como ficam os estudos? Sim eles são prejudicados. O desinteresse dos estudantes nas aulas estão se tornando cada vez maior. Os aparelhos celulares são como uma fuga para as aulas "chatas e cansativas" e os alunos não percebem isso no momento e acabam se prejudicando. Os dados encontrados na pesquisa revelam que com 11 anos, 50% dos alunos acham que o uso do aparelho eletrônico influencia sim no rendimento escolar, com 12 anos 55% dos alunos, com 13 anos 43%, com 14 anos 54% e com 15 anos 67%. A maioria desses jovens sabem que o vício ou mesmo o uso dos eletrônicos fazem diferença na vida escolar, prejudicando obviamente a todos que os utilizam incorretamente. Entrevistamos, além dos alunos, um professor:

Lisiane Vandresen
Idade: 45
Ocupação: Professora de Língua Portuguesa
Local de trabalho: Colégio de Aplicação   - UFSC

Entrevista:
Pergunta: O que você acha sobre o uso abusivo de aparelhos eletrônicos?
Resposta: Prejudiciais à saúde e à aprendizagem.
Pergunta: E em sala de aula?
Resposta: Podem ser usados com fins pedagógicos, pois proporcionam a elaboração de atividades bastante variadas.

E a mãe de uma aluna:
Viviane d'Ávila Heidenreich
Idade: 47
Ocupação: Professora de inglês
Local de trabalho: IFSC de São José

Entrevista:
Pergunta: O que você acha sobre o uso abusivo de aparelhos eletrônicos?
Resposta: Um absurdo, exagero, sem noção, prejudicial a saúde mental e física.
Pergunta: E em sala de aula?
Resposta: Falta de respeito com o professor e com os outros.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

DROGAS: Semana pela Vida

por Fillipe,


A Semana pela Vida foi um projeto implementado pela professora doutora Fernanda Müller. O evento aconteceu durante o ano de 2012 no Colégio de Aplicação com as três sétimas séries, com a finalidade de mobilizar os alunos contra as drogas, assim, foram realizadas várias oficinas durante uma semana.

O consumo de drogas anda crescendo gradualmente. Esse consumo não é só de drogas  ilícitas, mas também de drogas lícitas, como a bebida alcoólica e o cigarro. Pesquisas brasileiras mostram que essas drogas legais são geralmente consumidas por, principalmente, grande parte dos adolescentes, pois acham que experimentando esses entorpecentes vão acabar se enturmando com a sua faixa etária. Vivenciamos os perigos da bebida alcoólica na oficina exercida pelo professor Alberto Onofre. Ele, de sua parte, montou uma pequena balada e nos deu sucos, para fingirmos ser bebidas, o resultado foi que bebemos suco até não aguentar mais, que se fosse em uma balada de verdade poderia ocorrer a embriaguez, podendo assim ocasionar vários acidentes se fosse sair dirigindo, e que se você estivesse na empolgação do lugar, com certeza ia pegar o copo de gente desconhecida e assim pegar várias doenças.

No entanto, o tráfico de drogas vem crescendo junto ao consumo, pois muitos moradores de favelas e periferias (mas também não são só eles que as usam, mas também várias pessoas de classe Média/Alta) querem ficar ricos, como no filme que nos foi passado, durante a Semana pela Vida, Requiem: para um sonho. O filme é um pouco pesado, mas nos mostra a realidade de um traficante que fica dependente dos entorpecentes.

O Estado tem o papel de acabar com o tráfico de drogas com a ajuda da polícia, mas alguns dos policiais não seguem as ordens, assim prendendo os traficantes e com suborno eles são liberados, deixam entrar também com propina, celulares e em até alguns casos drogas, ou seja, a polícia e o tráfico vivem em poder paralelo. Um exemplo disso são os trotes, a maioria pedindo dinheiro, com os mesmos dizeres, “seu filho foi sequestrado e queremos resgate”, no desespero da hora, você faz tudo o que lhe pedirem.

Um fato é que a pessoa que usa drogas, ou até depois de essa fase passar, começa a sofrer Bulling, ou seja, é excluída socialmente, assim gerando violência.

Os entorpecentes afetam e muito a nossa sociedade, eles chegam na vida dos adolescentes de várias maneiras, como: para se enturmar, para se achar o ”gostosão”, dentre outras possibilidades. Mas uma dessas formas é pela mídia, como vimos na oficina dada pelos professores Camilo e Fernanda, aí você se pergunta, pela mídia? Como isso? Mas é simples, vejamos um exemplo, o clipe da Rihanna - WeFound Love, que mostra ela se drogando e vivendo a vida adoidada, muitos adolescentes veem isso, e tomam como exemplo e entram nessa na vida das drogas.

Uma pequena entrevista com a criadora do projeto:


Fillipe – Professora Fernanda, como foi organizar um evento de grande porte, junto com três turmas pela primeira vez?

Fernanda – Foi um desafio bastante grande. Não apenas por envolver as três sétimas séries, mas também, por trazer pessoas desconhecidas para dar palestras e explicar mais sobre o seu assunto dentro da escola, entre psicólogos, policiais, médicos e outros.

Fillipe – De onde surgiu a ideia de criar o evento? Você já tinha a ideia em mente?

Fernanda – O grupo de professores já tinha a ideia de promover certos trabalhos parecidos com este, integrando de uma maneira melhor os professores, as disciplinas, e principalmente, os alunos. A ideia propriamente veio do professor Alberto (professor de ciências) que há algum tempo sugeriu que nós abordássemos a questão das drogas. Com a ajuda de outros professores, finalmente tiramos essa ideia do papel e o colégio teve a oportunidade de participar de um evento como este. 

Fillipe – Qual a mensagem que você quis passar com a semana pela vida? Você acha que os alunos conseguiram captar a mensagem?

Fernanda – Bom, a nossa mensagem e o principal foco do projeto, foi a questão das drogas. De saber quem a produz, quem a vende, e também quem consume.

Fillipe – O projeto irá acontecer novamente? Além das sétimas séries, as outras turmas do colégio terão a oportunidade de conhecer o evento?


Fernanda – Nós recebemos uma proposta da direção do colégio para que o evento participasse do calendário escolar dos ensinos médios e também dos anos finais do ensino fundamental. Como o desafio é muito grande, esse ano nós iremos tentar organizar e segunda edição da Semana pela Vida, e lá pelo final do ano, além das drogas, iremos tentar abordar o assunto da sexualidade.

domingo, 4 de agosto de 2013

Uma dor que incomoda muita gente

por Bruna,

A dor de cabeça é um problema muito comum na sociedade podendo afetar qualquer pessoa. A intensidade das dores pode afetar a rotina, causando prejuízos na qualidade de vida.

Existem mais de 150 tipos de dores, como:

Enxaqueca – Uma das dores mais conhecida, mais comum nas mulheres e geralmente acompanhada por náuseas, fobia à luz, vômito, cheiros ou ruídos. A dor pode ter duração de 4 a 72 horas e causas emocionais e físicas como TPM, estresse, etc.

Dor de cabeça tensional – O tipo mais comum, causada por cansaço, estresse, alterações nos olhos, dentes, pescoço, postura incorreta ou maxilar. Mais comum em mulheres e podem durar algumas horas ou dias e podem se agravar.

Cefaleia em salvas – Uma dor intensa (pacientes chegam bater a cabeça na parede como forma de aliviar a dor), mais comum em homens, pode ocorrer várias vezes ao dia. Associada aos sintomas: olhos vermelhos, lacrimejamento, corrimento e congestão nasal, sudorese, contração da pupila, etc.

Por parte de mãe, todas as minhas tias tem enxaqueca, pela genética os filhos podem ter essa dor, por enquanto isso não é o meu caso, mas às vezes sinto fortes dores de cabeça principalmente pelo cansaço, tem vezes que acabo indo pra aula e não consigo me concentrar, pois a dor atrapalha, é horrível sentir, parece que tem um martelo batendo em minha cabeça.


Fonte - http://www.brasilescola.com/doencas/dor-cabeca.htm