segunda-feira, 29 de abril de 2013

A História do Cinema

por Sofia,
                
O cinema tem origem em vários lugares do mundo e com a influência de várias pessoas, porém dentro de um mesmo período. Depois que a fotografia surgiu, em 1820, muitos aparelhos foram inventados na tentativa de captar uma imagem em movimento.
                                                                                                
Thomas Edison e seus companheiros inventaram o quinetoscópio/cinetoscópio, um aparelho que mostrava as imagens em uma tira giratória, podendo visualizá-las em um visor. Os irmãos Auguste e Louis Lumière fizeram a exibição de pequenos “filmes” com menos de 1 minuto de duração no dia 28 de dezembro de 1895 (é considerada a data de inauguração do cinema), no Grand Café em Paris. Max e Emil Skladanowsky, dois meses antes já haviam feito projeções na sua cidade natal, Berlim. Isso tudo ainda era em preto e branco, sem muitos detalhes e com um enredo não muito interessante, mesmo assim o público se impressionou bastante.


  August e Louis Lumière
                                                   
Os primeiros filmes eram filmagens de shows, poesias falas ou curtas encenações. Como tudo era uma grande novidade para o povo, desde a classe mais alta até a mais baixa, formavam-se gigantescas filas para assistir a um filme, que possuía pouco mais de 3 minutos. As pessoas achavam tudo aquilo muito real, e ás vezes até corriam da sala com medo, mas tudo não passava da inteligente ilusão do cinema.   
                                                                                               
O famoso cinetoscópio   

A imagem em movimento que conseguimos obter é basicamente a captura de imagens por um processo fotoquímico, essas são inseridas em uma fila celuloide, permitindo o deslizamento das imagens pelo projetor. Cada fotografia é denominada fotograma, com milhares de fotogramas em sequência e em tal velocidade consegue-se a exibição de um filme/curta.   
                                          
 Desde então o cinema passou a ser de grande divertimento para um público de nível mundial. Para muitos até uma profissão, como: roteirista, diretor, ator, entre outros muitos. Eu especialmente sou apaixonada por cinema, adoro pensar que uma ideia, uma experiência, um documentário, um romance etc, podem ser retratados e passados para milhares de pessoas em forma de filme, afinal de contas uma imagem vale mais que mil palavras. Sendo assim, várias imagens em movimento valem milhões.

Fontes utilizadas:
Enciclopédia Compacta de Conhecimentos Gerais – ISTOÉ, Editora Três, 1995.





sexta-feira, 26 de abril de 2013

Exclusão social e racismo, que bicho é esse?

por José Antônio,

Nas últimas aulas de português, junto com a professora Lisiane, minha turma teve a oportunidade de assistir ao filme “Escritores da Liberdade” um filme, em muitos aspectos, realmente impressionante. Uma jovem professora chega a uma escola muito simples, que está completamente repleta pela violência e o desrespeito. Praticamente, todos os estudantes não tem vontade de aprender e a rebeldia está em primeiro lugar em suas mentes.             

A professora não sabia mais o que fazer, quando de repente lança métodos diferentes, assim, os alunos conseguem se expressar mais e a falarem um pouco mais do seu cotidiano difícil. Aos poucos, os estudantes vão tendo confiança em si mesmos, e começam a reconhecer valores que cada indivíduo tem.          
                                                                
Durante o filme, vários aspectos chamaram a minha atenção, como por exemplo, a exclusão social e o racismo. Você sabe o que significa essas duas palavras? “Uma pessoa é
considerada socialmente excluída quando está impedida de participar de alguma coisa ou quando o seu acesso ao rendimento e a outros recursos (pessoais, familiares e culturais) é de tal modo insuficiente que não lhe permite usufruir de um nível de vida considerado aceitável pela sociedade em que vive” . Em relação ao filme, os grupos dos alunos são totalmente divididos, uma espécie de gangue, uma família. “Ainda é comum encontrarmos casos de preconceito e discriminação por causa de diferenças raciais. O racismo é a tendência do pensamento à noção da existência de raças humanas diferentes umas às outras ”.   


Achei interessante escrever sobre esse tipo de assunto aqui, um assunto que ainda tem que ser muito trabalhado principalmente em sala de aula, e quem sabe, um dia deixar de existir.  Recomendo que todos vejam o filme!

Assista o trailler do filme: 


Créditos das imagens:
http://2.bp.blogspot.com/-ixE9l11NQGs/TymuvIF1UPI/AAAAAAAAADw/o33MrLlsRTk/s640/escritores-da-liberdade.jpg
http://www.techmestre.com/images/posticons/desc/m0602131.jpg
http://3.bp.blogspot.com/-9NrWK2wUC80/UE-_N9B9h0I/AAAAAAAAAIc/QLQF2jNtHPY/s1600/desigualdade.jpg

PROBLEMA SEM SOLUÇÃO


por Gabriel Fridriszewski,
               

Estava procurando ideias para escrever esse texto lendo as publicações de outros alunos nos anos anteriores, foi ai que vi esta postagem e resolvi escrever sobre ela também, pois é  um problema que ainda não foi resolvido.

Esse assunto foi escrito no ano de 2011 (ver: http://dialogos8b.blogspot.com.br/2011/08/afinal-fazemos-ou-nao-fazemos-parte-da.html), onde falava das condições que as quadras do Centro de Desportos da UFSC estavam e os dias em que empresta os ginásios para o Colégio de Aplicação. Como acontecia anteriormente, ainda hoje o Colégio de Aplicação é prejudicado e as quadras são utilizadas por pessoas que pagam para terem aulas (projetos de extensão) . Então pensei que uma solução  seria que os projetos  fossem para os alunos da escola  também,  dessa forma os estudantes do Colégio não seriam prejudicados e os  Projetos também não.

Como na postagem de 2011, achei que seria um problema só na época, mas isso acontece todos os anos e por isso resolvi colocar  no blog. Concordo que as aulas de Educação Física são importantes tanto quanto as outras e devem ser consideradas essenciais para o aluno, pois para muitos é a única maneira de fazer uma atividade física e como o Colégio de Aplicação faz parte da Universidade,  deveria ter direito de utilizá-los da mesma forma que os estudantes universitários.

 Acho legal os projetos de extensão pois vejo pessoas de outras idades e da comunidade fazendo atividades importantes, só acho que eles poderiam  utilizar outros horários para não prejudicar os alunos do Colégio de Aplicação e da UFSC.  

quarta-feira, 24 de abril de 2013

O AUTISMO: DISTÚRBIO MENTAL


   por Helena Mariah

 “O autismo é uma disfunção global do desenvolvimento, é uma alteração que afeta a capacidade de comunicação da pessoa (o autista), de socialização e de comportamento. É difícil para ele se comunicar, e expressar o que está sentindo”[1]
 O autista também tem um gosto para objetos incomuns. Mas isso não é para todos os casos.

Em alguns casos, o autista não tem contatos visuais, não consegue se comunicar direito, e vive em seu próprio mundo.
 O autismo é uma síndrome caracterizada por desvios de comunicação, atenção e imaginação; e, consequentemente, problemas comportamentais. Mais frequente em meninos do que em meninas, os primeiros indícios ocorrem, geralmente, antes dos três anos de idade, e persistem por toda a vida.”[2]


Alguma criança autista não tem um grau de deficiência tão alto a ponto de não poderem falar, e apresentam inteligência intacta. Mas vários parecem distantes e presos em seu próprio mundo, não prestam atenção em nada do que falamos e tem restritos padrões de comportamento. Há  também famílias que não aceitam que, por exemplo, seu filho ou irmão seja autista. 

 É  comum em várias crianças que tem autismo, que estas tenham o interesse em objetos incomuns, como empilhar coisa, alinhar outras. Estas também não tem noção do perigo, e resistem a mudanças de rotina. Tem grande hiperatividade física, não se misturam  com crianças, tem modos de comportamento indiferente, não mantém contato visual, age como se fosse surdo, resiste ao aprendizado, etc. Para o autismo não há cura.



[2]  http://www.brasilescola.com/saude/autismo.htm

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Desafio de História – o "descobridor" Cabral.

A data de 22 abril é comumente lembrada pelas diversas mídias como o “dia do descobrimento”. A rememoração desse dia traz como personagem a figura de Pedro Álvares Cabral, conhecido por muitos como o “descobridor do Brasil”. Que tal tentar perceber isso de forma prática?

Entreviste até 5 pessoas buscando entender suas percepções sobre este personagem.

“O que você sabe sobre Pedro Álvares Cabral?”

Anote no seu caderno as respostas. Não esqueça de tomar nota a idade e da profissão do entrevistado. Atividade para a aula de 26 de abril.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

O cenário geopolítico mundial após a segunda guerra[1]

por José Antônio,

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, todos sabemos que a maioria dos países europeus tiveram muitas perdas, tanto quanto os locais onde moravam, quanto muitos membros de suas famílias. A guerra conseguiu comprometer alguns países mais desenvolvidos naquela época: A França, a Inglaterra e a Alemanha. 
     

Durante esse conflito, a Europa vivia um momento de muitas dificuldades, e os Estados Unidos tinham saído da guerra como a maior potência capitalista do mundo. Porém nada era fácil, os EUA não eram a única superpotência que o mundo conhecia. A União Soviética era outra.   

Além das inúmeras perdas durante “o conflito sem fim”, o país que liderava o socialismo contava com um exército muito grande, capaz de ocupar mais de metade da região leste do continente europeu. Também não podemos esquecer que a parte socialista contava com um bom conhecimento na tecnologia para construir armamentos de grande porte. 

Enquanto o país de Franklin defendia o capitalismo firme e forte, a União Soviética fazia sua liderança no sistema socialista. Com tudo isso acontecendo frequentemente, o cenário geopolítico do mundo mudou radicalmente, assim formando o mundo bipolar[2]. Depois da “batalha mundial” se é que podemos dizer, o mundo ficou praticamente dividido entre as potências econômicas mais fortes. Caracterizado por ser dominado por duas superpotências, seus dois grandes pólos eram o estadunidense e o soviético.

      Mesmo assim, alguns países que mesmo participando do estilo de vida capitalista ou socialista não se aliaram muito a nenhum desses modos de vida. Assim ficando meio a meio, com ideias “neutras”.




[1] Texto produzido a partir de anotações feitas pelo estudante.
[2] A palavra “bipolar” tem muitos significados, porém em relação com a geografia e com o texto produzido, o “bi” se relaciona a mais de uma coisa. No caso, a União Soviética e os EUA.

Créditos das imagens:

quarta-feira, 17 de abril de 2013

A mobilidade urbana



por José Antônio,

            Atualmente a maioria dos brasileiros sofre a cada dia com o trânsito em sua cidade. Tanto quanto para ir ao trabalho, quanto para fazer um passeio com a família durante a semana. Não só esses, mas em muitos outros casos, a pessoa tem que aguentar ficar no trânsito perdendo horas e mais horas. Não sei, mas acho que todos aqui já perderam muito a sua paciência com isso. No meu caso, que moro em Florianópolis, isso acontece na maioria das vezes. As pessoas acham horrível ficar naquelas filas que nunca tem fim...      
           
            Muito se fala em mobilidade urbana, e ao mesmo tempo, as cidades tentam diminuir a cada dia o excesso de veículos. Mas, afinal, o que é mobilidade urbana? A cidade pode ter um menor número de veículos, mas mesmo assim continuar em desenvolvimento?  A mobilidade é quando uma região consegue proporcionar aos seus moradores condições necessárias para o seu deslocamento. Em outro caso, se locomover com facilidade. Essa tal da mobilidade urbana que todos falam se resume em: pegar o ônibus com a garantia de que
se chegará ao local e no horário certo, não perder a paciência no trânsito e outros aspectos.
          
            Em minha opinião, antes dos prefeitos prometerem quaisquer outras ideias em suas campanhas, eles deveriam pensar muito sobre o trânsito. Principalmente pensar como é pegar um transporte público e ficare horas e horas perdendo o precioso tempo. Não são todas as pessoas que andam de ônibus, porém devem se lembrar de que ficar na fila em um ônibus é muito pior do que ficar dentro de um carro confortável.  

            Em Florianópolis, quando tem clássicos de futebol as pessoas que estão em outra parte da Ilha tem que se deslocar do local em que estão algumas horas antes, para não chegar tão tarde em casa. Até quando isso vai acontecer? 


segunda-feira, 15 de abril de 2013

Harry Potter - a saga

por José Antônio,

Bom, como é minha primeira postagem no blog, decidi escrever primeiramente sobre uma das coisas que eu mais gosto, Harry Potter. Você já ouviu falar? Acho que sim, pois a saga é famosa em todo mundo. Toda a história surgiu de uma autora chamada Joanne Kathleen Rowling, conhecida por seus fãs como J.K. Rowling. Escritora britânica, nascida na cidade de Yate, em 1965. Ela, por fim, é a autora dos sete livros que compõem a saga de Harry Potter.

Tudo começou quando Rowling estava em Londres, o trem em que ela viajava quebrou e junto com isso resolveu criar a história que causaria um grande impacto na literatura para o público juvenil: Harry Potter. “A ideia de Harry Potter surgiu de repente em minha mente, e nenhuma outra ideia tinha me animado tanto quanto esta.” – diz a autora. 

Quando o primeiro livro já estava praticamente pronto, J.K. fora em busca de editores para que pudessem publicar pelo menos alguns exemplares, porém recebeu muitas recusas de várias editoras. Finalmente um homem chamado Barry Cunningham resolveu publicar a primeira edição da saga: Harry Potter e a Pedra Filosofal. Barry não botava “tanta fé” no primeiro livro, tanto é que apenas 1.000 exemplares foram publicados. Porém sua reação depois de algum tempo foi outra...  Podemos dizer que Harry Potter praticamente estourou de um dia para o outro. Hoje, um daqueles primeiros exemplares vale mais de 60 mil reais. Depois de grande sucesso com o primeiro livro, J.K. resolveu escrever mais e mais, dando  caminho a mais seis livros da série.  
                                                                                                                                                                              
Resolvi contar como tudo começou, na verdade. Assim trazendo várias informações da série e também da autora. Em minha opinião Harry Potter é ótimo, não deixem de ler os livros e ver os filmes, vale realmente à pena!




Créditos das imagens
http://2.bp.blogspot.com/-ukYHpI0urqE/UBWsjoaQFII/AAAAAAAABXo/15WO5pWTZpM/s1600/jkrowling.jpg
 http://www.cinema7arte.com/site/wp-content/uploads/2011/08/Harry-Potter-Livros-1024x363.png

domingo, 14 de abril de 2013

A Dama de Ferro e o Futebol


por Gabriel Margutti Fridriszewski,

     Para quem não conhece o titulo “A Dama de Ferro, refere-se a Margaret Thatcher, ex-chefe de estado da Inglaterra, que faleceu no dia 8 de abril de 2013 vítima de um AVC. Apesar do reconhecimento mundial, ela foi para o futebol assim como para a população mais humilde do país, uma tirana, onde impôs  sua maneira de pensar e dizia que a sociedade só existia entre o indivíduo e sua família. Foi no seu governo que aconteceu um dos maiores desastres do futebol, entre duas torcidas locais.

    Na tragédia de Hillsborough, no ano de 1989, 96 pessoas morreram esmagadas por causa de uma superlotação de estádio para ver  os rivais Liverpool e Nottingham Forest.

    
Na época, o governo declarou culpados os torcedores e a violência nos estádios, pois houve uma briga na torcida no início da tragédia. Só que a Margaret não gostava de muita aglomeração de pessoas, então, no campo de futebol, eram colocados grades enormes para separar as duas torcidas, para não ter acesso ao campo de futebol. 

    
Apenas em 2012 após processo judicial que o povo conseguiu na justiça abrir os documentos secretos, e o mundo soube então que a culpa do incidente foi das grades colocadas, e pela falta de preparo da polícia de Thatcher.

    Com isso foi retirado a culpa dos torcedores e o governo atual está sendo processado. Até hoje, os torcedores de Liverpool cantam uma canção que diz que iam festejar o dia em que Margaret Thatcher morresse.

    O que me deixou espantado na história é que a Dama de Ferro foi eleita pelo povo e se manteve no governo por 11 anos.     

sexta-feira, 12 de abril de 2013

O fim do mundo...

por Gabriel Fridriszewski,



    Desde as primeiras civilizações, o fim do mundo já era anunciado, Nostradamus, os Maias, tribos indígenas, cada um com sua teoria, mas, hoje em dia, com a “ajuda” das redes sociais, as pessoas acreditavam ainda mais que o ano de 2012 seria o último ano de vida do Planeta. Analisando as informações do calendário Maia, a teoria se fortificou neste ano, causando um terror em algumas partes do mundo, teve pessoas que criaram cápsulas de proteção, “cavernas” isoladas, e vários estoques de alimentos esperando o dia anunciado. Até a NASA teve que fazer um pronunciamento para acalmar o grande alvoroço que estava sendo espalhado pelo mundo.


    Foram feitos vários filmes e documentários abordando o assunto que ajudaram a aumentar a preocupação e as consequências que causariam no Planeta. Como já sabemos, isso não aconteceu, confesso que tive dúvidas se isso aconteceria, pois foi um assunto comentado no mundo inteiro.

    Acredito que isso tomou proporções por causa das redes sociais, pois temos mais acessos , informações e pesquisas, que chegam muito rápido ao público.   Algumas pessoas acreditavam que em 2012 não aconteceria o fim do mundo, mas sim o início de uma nova era.

Créditos da imagem: