quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Desbravando a Ilha*


Por Mariana Endler

Há seis meses passou por aqui uma turista curitibana que não entendia nada do que se passava na Ilha da Magia (Florianópolis). A moça não compreendia as gírias “manézinhas”, não conhecia a cultura, a culinária, muito menos da vida do cidadão ilhéu. Mas ela estava louca para descobrir tudo...

Quando chegou saiu do aeroporto e foi procurar um táxi, no entanto precisava economizar dinheiro para o turismo e guardá-lo para seus aluguéis. O que ela não sabia era que talvez não fosse encontrar nenhuma pousada com vagas pois era temporada de verão, ou seja, super lotação na Ilha! 

Ela pegou um ônibus, que é uma grande maravilha daqui. Entrou em um com capacidade para sessenta pessoas, mas que na temporada leva noventa. Para com calma aproveitar o passeio pegou aquele congestionamento cheio de motoristas nervosos gritando uns com os outros. 


Depois se perdeu toda até achar um lugar para ficar. Trocou de ônibus, pegou outro lotado e foi para o centro da cidade comer a tal tainha, peixe adorado pelos “manézinhos”. 

Logo após voltou para pousada e cochilou alguns minutos. A tarde foi conhecer as praias maravilhosas, superlotadas, cheias de farofeiros e vendedores ambulantes. Encontrou também muito lixo dentro da água salgada sob aquele sol de rachar! 

Ao pôr do sol chegou à pousada parecendo um camarão não conseguindo se mexer direito. Ao menos seu estômago estava cheio pois na praia pode se deliciar com aquelas comidas super típicas, como milho duro, atolado de sal e margarina, assim como aqueles salgadinhos fritos em azeite velho.

A curitibana teve naquela dia o melhor de nossa política de bem receber o turista! Bem vindos a Ilha da Magia! ;)

* Crônica adaptada da produção feita para a disciplina de Língua portuguesa, sob orientação da prof. Lisiane Vandresen.

Crédito da imagem:

Hippies, um símbolo de paz?


Por   Lucas Borges .

Há aproximadamente 50 anos foi inventado pelo designer Gerard Holtom, na Inglaterra, o símbolo que hoje é entendido como de paz. Este símbolo está muito ligado do movimento hippie. 

No entanto, este não foi criado com a intenção da simbologia pela paz. O que para muitos é uma pata de galinha, para outros simboliza a morte. Diz-se também que é um símbolo satânico por parecer uma cruz de cabeça para baixo e quebrada. Também já foi utilizado como símbolo de uma marca de cigarros. Porém Gerard o criou para ser um símbolo para a marcha do desarmamento nuclear unindo dois símbolos usados para a comunicação por bandeiras, um “N” para nuclear, um “D” para desarmamento e o círculo que representaria o planeta Terra. A ideia era dar a impressão de um homem em desespero com os braços estendidos. 

Esse símbolo hoje está muito associado aos hippies. Mas você sabe que grupo é esse?

O movimento hippie começa nos anos de 1940, nos EUA, logo após a fim da 2ª Guerra Mundial quando começa a despontar sinais de um forte movimento contracultura contestando o sistema social da época. 

Nos anos 50 o movimento se expandiu e cresceu. Os hippies se juntavam em cafés e clubes de jazz para conversar e declamar poesias. Vestidos com roupas informais, os homens de barbas mais compridas (bem comum entre eles), usando óculos escuros a qualquer hora do dia, eram facilmente reconhecidos.

Hippies no Estados Unidos
Eles utilizavam a expressão “I’m hip”, que com o tempo foi se desenvolvendo até chegar ao hippie que conhecemos hoje. Os hippies levaram o movimento dos cafés para as universidades, tanto que a universidade de Berkley ficou bastante conhecida e gerou muitas polêmicas devido a isto. Em 1964 por causa do Movimento a Liberdade de Expressão os responsáveis por Berkley proibiram que fossem feitos qualquer protesto fora dos portões da universidade. Outro exemplo de polêmicas causadas pelos hippies em universidades foi em março de 1965 na Universidade de Michigan, onde os estudantes colocaram em ação o primeiro protesto com o objetivo de mostrar que a guerra do Vietnã era imoral e que os EUA deveria abandonar esta luta. Os protestos contra essa guerra eram constantes e o maior incidente foi em Kent, onde a Guarda Nacional disparou tiros contra os manifestantes matando quatro deles. 

Os hippies são comunidades alternativas que lutam contra as guerras, injustiças da sociedade e para que haja paz. Acredito que muitas pessoas desconhecem este movimento por ele ser muito repreendido já que muitas vezes é contra ações e decisões do governo. 

Curiosidades sobre os hippies: 

·      - O estilo pop e rock constituíram um meio importante para a expressão da filosofia hippie. As letras escritas sob efeito de drogas e escutadas nas mesmas condições, dizia-se que a música tinha um efeito libertador da mente.
·    - Timothy Leary, professor de universidade que utilizava drogas alucinógenas na forma de libertar a mente se tornou o principal “guia espiritual” do movimento hippie e que criou o slogan “Turn on, tune in, drop out”. Turn on: significava na linguagem hippie tomar drogas, ligando a mente a uma dimensão com mais liberdade.Tune in: significada aderir o estilo e a filosofia hippie.Drop out: tinha o significado de abandonar a vida tradicional, esquecer as expectativas de ter uma carreira profissional estável e rotineiro. Também significava ser contra a qualquer tipo de guerra. 

Fontes e Crédito da imagem:

O Acampamento...


Por Victor Francisco

Hoje meu texto vem falar sobre algo que curto muito: acampamento. Esta atividade segundo o site nr.com.br “surgiu no Brasil há aproximadamente 70 anos com um grupo da ACM seguindo os moldes trazidos dos Estados Unidos”.

No acampamento perto da natureza o acampante deve ter o cuidado de analisar se o local serve para montar sua barraca ou bivaque. Não existem acampamentos apenas com barracas, mas também com os chamados bivaques que é formado por uma lona, corda, e bambu.

Não se pode esquecer de levar para seu acampamento saco de dormir, isolante térmico, lanterna, roupa (adequada para o estado em que estiver), kit de primeiros socorros, calçado adequado e roupas limpas e secas.

Para que o acampamento seja bom, seguro e divertido deve-se conhecer bem o lugar onde se vai passar a noite (ou alguns dias). Caso for fazer um acampamento com várias crianças tenha preparado uma lista de brincadeiras e coisas para ensiná-las.

Depois de realizar o acampamento NUNCA esqueça de verificar como o local ficou. Sempre limpe a área e tente deixar melhor que o encontrou. Seque bem a barraca antes de guardá-la, pois caso contrário ela pode mofar. Cuidado especial para o local onde fez a fogueira: jogue água e areia no fogo para apagá-lo totalmente.

É isso ai, bom acampamento!

Fontes:
http://nr.com.br/acampamento-no-brasil/ acessado no dia 24/09, as 20:20.


Tanta história quanto The Beatles: Oasis

Por Lucas Borges

Oasis é uma banda que foi criada no início dos anos 90 na cidade inglesa de Manchester, mantendo-se um dos nomes mais influentes da música até hoje.

A história da banda, “liderada” pelos irmãos Liam e Noel Gallagher, começa em 1991. Tudo começou com a primeira apresentação da banda de Liam que se chamava Rain, em um bar de Manchester, que chamou a atenção do irmão do vocalista. Com certeza a plateia que ali estava não fazia ideia de que aquele seria o começo de uma banda histórica. Ironicamente Noel sempre foi mais interessado em música e tocava guitarra desde cedo, mas nunca havia formado uma banda “séria”. Noel achou que a banda do irmão composta por Paul "Bonehead" Arthurs, Paul "Guigsy" McGuigan, Tony McCarrol e Liam Gallagher, era bem promissora, porém suas composições eram um “lixo”. Assim sendo, Liam pediu para que o irmão se juntasse a eles. Noel aceitou tendo duas condições: ele seria o único compositor e líder da banda. Condições aceitas e aí se formou a banda Oasis.

Inicialmente a banda fazia pequenos shows em bares e pubs na Inglaterra. Em uma noite qualquer, na plateia de algum show estava o Alan McGee, dono da gravadora Creation Records, ele se impressionou com a banda e assinou contrato na hora. Logo após a banda fez seu primeiro single “Supersonic”, lançado dia 11 de abril de 1994. Aos poucos Oasis ia aumentando seu público, a banda lotava cada vez mais shows e seu nome ficava cada vez mais comentado na Inglaterra. “Definitely Maybe” foi o primeiro álbum gravado pela banda, que em pouco tempo se tornou o álbum de estreia mais vendido de todos os tempos.

Com shows cada vez mais disputados, Oasis ganha nome lançando singles, como “Live Forever” e “Some Might Say” que fazem muito sucesso. Ao mesmo tempo em que a banda ia de bom a melhor o gênio forte dos irmãos fez com que eles passassem por muitas brigas, mostrando discussões entre eles e troca de farpas com outras bandas. Porém, o assunto que gerou mais polêmica foi uma briga de bar, na França, que gerou a saída do baterista Tony McCarrol.


Apesar da saída do baterista a banda não se abala com a entrada do “substituto” Alan White, e já pensavam no novo disco. O resultado foi “(What’s the Story) Morning Glory?” que foi lançado em 1995 e vendeu aproximadamente 20 milhões de copias no mundo. O álbum continha as músicas: “Don’t Look Back in Anger”, "Wonderwall", "Champagne Supernova", "Hello" e "Morning Glory” que ainda são bastante escutadas. Foi neste álbum que Noel Gallagher mostrou sua habilidade como compositor, criando excelentes músicas como: "Acquiesce", "Underneath the Sky", "Talk Tonight", entre outras. “Com estes dois álbuns já lançados Oasis mostra que não era uma mera onda comercial, e sim uma banda que estava escrevendo seu nome na história do rock.” diz Tomás Adam e Alexandre Luzardo.

Em 1996 a banda se prepara para seu terceiro álbum “Be Here Now”. No mesmo ano surgem boatos de que a banda acabaria, porém Noel só iria para a Bahamas compor as músicas do novo disco. No estúdio eles incrementam novos sons deixando as músicas do álbum, que foi lançado em 1997, mais psicodélicas. Em três dias foram vendidas cerca de 3 milhões de cópias. No repertório do disco se destacam: "Stand By Me", "Don't Go Away", "D'you Know what I mean?", "All Around The World" e "Fade In-Out".

Depois de uma longa folga, a banda volta com tudo compondo um novo disco, porém uma notícia choca os fãs. O segundo guitarrista Paul “Bonehead” e o baixista Paul “Guigsy” anunciam que não farão mais parte da banda. Da mesma forma, a banda lança em 2000 seu terceiro CD "Standing On The Shoulder of Giants" e logo após anuncia os substitutos da banda, estes eram, Andy Bell (baixista) e Gem Archer (segundo guitarrista). Este álbum marca uma nova (e talvez a melhor) fase da banda apesar de não terem mais o mesmo sucesso que tinham inicialmente.

Ao fim da carreira a banda tinha ao todo sete álbuns, mais de 100 músicas e uma grande história.

“Durante os mais de 10 anos de carreira, o Oasis mostrou ser uma
banda que mescla duas coisas que dificilmente se juntam: músicas de
uma indiscutível  qualidade e atitude rock n' roll. E mesmo que
o futuro a partir de agora pareça um tanto incerto, não dá para deixar
de admitir: por tudo o que já produziu, a história Oasis já está
inserida de forma definitiva no rock.”

Tomás Adam e Alexandre Luzardo


Fontes:
< http://whiplash.net/materias/biografias/038427-oasis.html > acesso em 26.set.2012.
< http://pt.wikipedia.org/wiki/Oasis > acesso em 26.set.2012.

Crédito da imagem:
acesso em 27.set.2012.