segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Férias

por Maíra,

É  galerinha, as férias estão chegando, arrume suas trouxas e bora curtir!
Férias são aqueles períodos em que você tem um descanso contínuo entre 60 a 120 dias, no qual não tem aula, não trabalha , podemos dizer não faz nada. Entre os adolescentes e jovens as férias são as coisas mais esperadas e desejadas durante todo o ano. É o tempo em que somos livres e desimpedidos, o tempo em que podemos curtir e quebrar um pouco a rotina.

Não que os dias letivos com aula, sejam os piores, e não haja curtição, nos dias de aula temos vários momentos inesquecíveis e felizes, dias   e anos em que nunca serão esquecidos e serão guardados pra vida inteira. Dias e anos em que conhecemos nossos melhores amigos, e aprendemos a sermos melhores amigos, dias em que conhecemos os melhores professores e educadores das nossas vidas, que passam seus dias se dedicando para dar um futuro melhor. Dias em que aprendemos  desde pequeninos a ser educados, deixar os palavrões de lado e aprender as palavrinhas mágicas. Dias em que deixamos nossos medos e enfrentamos as maiores barreiras, deixando nossas inseguranças e a cada passo sendo mais responsáveis. Entre outros muitos dias, semanas, meses, anos em que acontecem muitas outras coisas que ficam marcadas. Afinal depois de tudo isso, percebemos que a escola tem uma grande importância na nossa vida, mesmo ela sendo cansativa, chata e tudo mais, ela sempre deixará lembranças e momentos inesquecíveis.


Então curtam muito suas férias, divirtam-se, brinquem, aproveitem, pois depois delas começam um novo ano, em que muitas coisas irão acontecer e marcar. Em que muitos dias o sono irá irritar e a chatice bater, mais nunca se esqueçam como a escola é importante para nossas vidas, e que não são só os dias chatos e sim os felizes e alegres.

Nessa última semaninha, aproveite com seus amigos, colegas, professores. Mas também não podemos esquecer dos que ficaram um pouquinho mais, desejamos boa sorte, e que não esquecem de estudar né gente!

Boas Férias para todos!  

O que são Tigres Asiáticos?


Por Maria Eduarda Barcelos,

Provavelmente você deve estar pensando que os Tigres Asiáticos são os tigres da Ásia. Até que eles são, mas se trata de alguns países do Sudeste da Ásia que antes  eram baseados na economia por meio de atividades primárias, e tiveram um rápido crescimento industrial.  Os desenvolvimentos econômicos nesses países não são somente provocados  pelo crescimento industrial, mais também pelo setor comercial.

               Na  década  de 1970 passaram por  um rápido processo de industrialização. Desde então apresentam altas taxas anuais de crescimento econômico em nível mundial. Alguns até apresentam taxas superiores às da França e do Brasil, que são países industrializados há muito mais tempo. Cingapura, Coréia do Sul, Taiwan e Região administrativa do Hong Kong, são os mais antigos Tigres Asiáticos.

                O rápido crescimento industrial e econômico deu-se a partir de investimentos financeiros realizados pelos Estados Unidos e Japão, que tinham como objetivo criar economias capitalistas bem estruturadas nesta parte da Ásia.

Além dos investimentos financeiros outros fatores contribuíram para atrair multinacionais para os Tigres Asiáticos, como a mão de obra abundante, barata e com nível razoável de escolaridade.

Esses foram alguns dos principais fatores que garantiram aos Tigres Asiáticos forte competividade no mercado mundial. Oferecendo os produtos com preço bem menores do que os oferecidos por outros países industrializados como no Brasil. Atualmente nosso país vem sendo invadido por produtos fabricados nos países asiáticos, como brinquedos, aparelhos, eletrônicos e computadores, o que prejudica diretamente a produção industrial nacional.



Então é isso pessoal, espero que tenham gostado, entendido um pouco sobre os Tigres, e que continuem a visitar nossa blog.

domingo, 27 de novembro de 2011

Resenha do livro e filme: “Harry Potter e a Câmara Secreta”

por Vitor,

A saga Harry Potter conta a história de um garoto órfão britânico que, aos dez anos descobre que é um bruxo e que, além disso, é famoso no mundo dos bruxos. Quando era apenas um bebê, o maligno Lorde Voldemort, o mais temido bruxo das trevas, entrou em sua casa e matou o pai e a mãe de Harry, e se virou para o garoto com intuito de matá-lo, porém ao conjurar o feitiço o impacto foi desviado e Lorde Voldemort ficou a beira da morte, e o jovem Harry apenas com uma cicatriz em forma de raio.
A saga “Harry Potter” tem 7 livros e vendeu 450 milhões de exemplares (até julho de 2011) em mais de 67 línguas. Já sua adaptação cinematográfica foi feita em 8 filmes, sendo o último livro “Harry Potter e as Relíquias da Morte” dividido em dois, por limitações de tempo na produção do filme. A segunda parte do último filme de maior bilheteria, cerca de US$ 1.327.003.359,00 arrecadados com a venda de ingressos e além disso proporcionou inúmeras indicações ao Oscar ao longo da série, mas não ganhou nenhum.
O livro/filme comentado nesta resenha é o segundo da saga: “Harry Potter e a Câmara Secreta”. O enredo se passa entre os anos de 1992-1993 e conta a história do segundo ano de Harry no colégio.
O protagonista neste segundo livro/filme teve muitas dificuldades, na escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts onde rumores de que a intitulada Câmara Secreta (uma câmara construída por Salazar Sonserina, um dos criadores de Hogwarts, e que queria que a escolha dos alunos fosse mais seleta) foi aberta e a besta que a habita foi solta. Esta besta tem como objetivo matar todos os “nascidos trouxas” (filhos de não bruxos que viram bruxos) da escola.
Quando os alunos de Hogwarts começam a serem petrificados, Harry e seus amigos, Rony Weasley e Hermione Granger, se sentem obrigados a descobrir quem, ou o que está por traz desses ataques.
Em minha opinião é um dos melhores livros da série, talvez somente não supere a última edição da saga. As incríveis reviravoltas no caso, as tramas para conseguir pistas e o fascinante mundo da magia, entre outros elementos, fazem tanto o livro, quanto o filme boas produções. Porém em alguns aspectos o livro é mais completo, como na maioria das vezes.
Alguns personagens não aparecem nos filmes como Pirraça, um irritante fantasma que vaga o colégio pregando peças e incomodado alunos e o professor Binns, o único professor fantasma, que da aula de História da Magia. Além disso, alguns assuntos tiveram devida importância no filme, como os intermináveis estudos, e o nervosismo dos alunos para as provas de final de ano.
Por obvias limitações de filmagem, os filmes normalmente não conseguem transcrever todo o conteúdo dos livros.
Contudo, concluo que o filme seguiu muito bem o roteiro abordado e que traduziu bem a ideia que tive ao ler o livro. Ambos são bons trabalhos que eu recomendo para pessoas de todas as idades.

Você é mesmo feliz?

Jane Moreira e Maira,

Felicidade é um tema intrigante, interessante e complexo, envolve várias áreas da nossa vida, como poderemos observar abaixo. Encontramos muita literatura a respeito: textos, pensamentos, poemas, inclusive músicas tentando definir esse sentimento/sensação/ emoção...
Esse texto é uma reflexão baseada no livro de Richard Layard,  Felicidade – Lições de uma nova ciência.
O autor, conceitua felicidade da seguinte maneira: “...é sentir-se bem, aproveitar a vida e desejar que essa sensação se mantenha.”, também fala sobre o que torna as pessoas felizes:

·        Os humanos são seres profundamente sociais – o casamento e as amizades os tornam mais felizes.
·        Como seres sociais, queremos confiar uns nos outros – as pessoas querem ser confiáveis e respeitadas.
·        Os seres humanos também são muito adaptáveis – nossos sentimentos se adaptam a nossa experiência.
·        A renda extra aumenta menos a felicidade à medida que as pessoas se tornam mais ricas.
·        A felicidade depende tanto da vida interior quanto das circunstâncias externas.

Na música: Era uma vez , o músico Toquinho fala sobre o que é necessário para a gente ser feliz:

 Prá gente ser feliz
Tem que cultivar
As nossas amizades
Os amigos de verdade
Prá gente ser feliz
Tem que mergulhar
Na própria fantasia
Na nossa liberdade...

Referência: LAYARD, Richard. Felicidade: lições de uma nova ciência. Rio de Janeiro: Best Seller, 2008.

Esmaltes


por Helen, 

Para quem acha que os esmaltes sempre foram feitos como hoje está um pouco enganado, porque há 3 000 a.C na China, os esmaltes eram feitos de goma- arábica, clara de ovo, gelatina e cera de abelha, dependendo da cor a pessoa era de uma classe social, tanto homem quanto mulher pintavam suas unhas, estranho não é?

No século VII, apenas pessoas da família real poderiam usar uma pasta dourada ou prateada em suas unhas, mais tarde essas cores mudavam para vermelho ou preto.Porém, mais tarde, pintar as unhas começou a se tornar moda, os egípcios mergulhavam seu dedos em um tipo de pintura, pessoas com classe menor pintavam suas unhas de cores claras, geralmente pessoa mas poderosas usavam cores fortes como o vermelho.

Muito, mais muitos anos depois em 1925, foi criado o esmalte que conhecemos hoje. Atualmente não existe mais aquela “proibição” com o uso dos esmaltes como antigamente, ainda bem por que não tem quem não seja apaixonada por esmaltes e não iria ser nem um pouco legal se ainda houvesse limites de quem vai usar ou não esmaltes.

Eu sou o número Quatro – Filme e livro

 Por Larissa, 

Eu sou o Número Quatro, um livro de Pittacus Lore, lançado este ano, já virou filme. Dirigido por D. J. Caruso, dizem que é uma versao de crepúsculo para meninos, o que não concordo.
Os últimos sobreviventes do planeta Lorien,  nove crianças e nove guardiões,fugiram enquanto estavam sendo atacados pelos Megadorianos. Sua fuga foi para o próximo planeta habitável, a Terra. Mas antes de partirem foram numerados em sequência de 1 a 9 por um ancião ao praticar um feitiço de proteção. Assim, eles só podem ser mortos em sequência, mas para isso eles têm que ficar separados.

Na Terra o Número Quatro (Alex Pettyfer) vive como nômade para poder escapar dos Megadorianos, por esse motivo não tem muitos amigos. Mas isso muda quando ele vai morar em Paradise, lá o protagonista se apaixona por Sarah (Dianna Agron), uma menina bonita, simpática e com talentos para fotografia e faz amizade com Sam (Callan McAuliffe), um adolescente um pouco antissocial fascinado por alienígenas. Mas tem um problema os três primeiros lorienos já morreram e o Número Quatro é o próximo.
Se você já leu o livro e está pensando em assistir o filme, sinto muito, você vai se decepcionar não que o filme seja ruim, se você olhar na internet verá muitos comentários positivos, mas se compararmos ao enredo do livro percebemos que falta contexto. Eu imagino que não é fácil colocar em um filme de 109 minutos, um livro de 350 páginas, mas o diretor investe muito mais no romance água com açúcar do que na história do povo, nos treinamentos dos legados (poderes).

 Um item muito importante do livro, que não é contemplado, é a mensagem ecológica.  Os Megadorianos atacam Lorien e pensam em atacar a Terra, pois não souberam preservar seu planeta que agora está destruído e eles mataram tantos lorienos, porque precisam de um novo lugar para morar.

Apesar disso, o filme é bom, tem efeitos especiais bem feitos, menos o da lagartixa no início do filme. Um destaque para Teresa Palmer, que interpretou uma menina misteriosa (não posso estragar a surpresa revelando sua identidade) e  conseguiu entrar no clima rebelde, mandão e metido da personagem. Por ter perdido a sua guardiã, no filme há quatro meses e no livro ha três anos, aprendeu a se virar sozinha e será uma grande ajuda para o Número Quatro e Sam que estão a procura dos outros...

sábado, 26 de novembro de 2011

”10 invenções que mudaram o mundo”

por Daniel,

Um dia destes conversava com meus pais,  perguntei com o que eles se divertiam quando tinham 14 anos como eu tenho agora, eles me disseram que até tinham TV, mas era preto e branco, telefone era para os muito ricos, eles liam, conversavam com as amigos, iam numas festas chamadas “reuniões dançantes”, piscina em algum clube no verão, e praia com os pais ou acampavam com a família.

Aí fiquei pensando em como as coisas evoluíram rapidamente, e quanta coisa temos nas nossas casas para nós divertimos, mas a gente não acampa, lê menos, e nossos pais acham muito cedo ir para as baladas.

Dei uma pesquisada, e descobri que uma associação inglesa (British Science Association) decidiu pensar nesse assunto também e elaborou uma lista de inventos que hoje são coisas que não podemos viver sem, mas que há um tempinho atrás não existia e eles estão considerando com as 10 invenções que mudaram o mundo, vai lá à lista:

1-Tecnologia GPS;
2-Walkman;
3- Código de Barras;
4-Fast-food;
5- Playstation;
6- Redes sociais online;
7-SMS’s;
8-Cartões de Crédito;
9-Microondas;
10- Tênis.

Acho que cada um tem sua lista, minha mãe como trabalha na saúde, me falou dos aparelhos que veem em imagem 3d o corpo humano, novos remédios inteligentes ,acha os tabletes tembém muito legal, eu particularmente acho os telefones da Apple tudo de bom.
 Com certeza, muitas coisas ainda irão ser acrescentadas a esta lista.

Fonte:
http://www.tugatronica.com/os-10-inventos-que-mudaram-o-mundo/










segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Diamante de Sangue


por Raí,
            
            O filme "Diamante de Sangue" retrata Serra Leoa no auge da sua guerra civil (que ocorreu de 1990 e teve seu final apenas quando os dois lados assinaram um tratado de paz em 2001), onde um grupo de guerrilheiros da frente revolucionaria unida (FRU) queria dar um golpe de estado, pois seus líderes estavam insatisfeitos com o abuso de corrupção do governo. Os armamentos, tanto do governo como da FRU eram conseguidos através de traficantes de armas que eram pagos com os diamantes ilegais extraídos com mão de obra escrava. Para trabalhar na exploração de diamantes a FRU escraviza povoados pequenos obrigando-os a trabalhar em minas de diamantes onde eram mantidos em cativeiro e com extremo cuidado para que ninguém roubasse diamantes.  

Além de escravizar a população, a FRU também retirava as crianças de suas famílias e recrutavam-nas como soldados mirins para trabalharem na frente revolucionária unida, transformando-os em soldados sem pena de matar e muito menos de roubar. Para entendemos como tudo isso começou precisamos voltar até o século XIX quando a África era colônia de outros países (europeus), esses países quando separavam os territórios do continente deixaram muitas tribos e etnias diferentes juntas no mesmo país, eles faziam isso para dificultar e prevenir rebeliões por parte dos nativos. Pois se eles nem falavam a mesma língua como poderiam organizar um rebelião? Mas isso causou muito mais do que a prevenção de uma rebelião, isso causou muitos conflitos étnicos entre as tribos fazendo com que eles brigassem entre si em quanto o verdadeiro inimigo eram os europeus, só que mesmo quando os colonizadores “saíram” do continente africano esses conflitos continuaram, e até hoje continuam, mostrando como essa estratégia teve efeitos catastróficos. 

Estima-se que mais de 50 mil civis tenham morrido nessa guerra civil que durou mais de 10 anos. Isso é só mais uma prova de que grande parte dos problemas que ocorrem na África hoje são resultados do colonialismo e do neo-colonialismo produzido por parte dos europeus do século XVI até o século XIX. Isso sem contar outros problemas como AIDS, fome, economia, saúde, educação e etc. que são todos resultados das políticas do colonialismo que sugaram as riquezas do povo africano e depois abandonaram o continente deixando-o uma verdadeira “zona”, sem regras e sem rumo.

Créditos: http://www.interfilmes.com/filme_16829_diamante.de.sangue.html

domingo, 20 de novembro de 2011

Será que o Brasil precisa de Belo Monte?

por Daniel,

 Será que o Brasil precisa realmente de uma hidrelétrica  que  não irá fornecer tanta energia como estão dizendo, que irá retirar os índios e habitantes locais dessa região ( rio Xingu, no Pará) e que poderá afetar de forma permanente a fauna da região?

 Essa Usina está sendo considerada como a possível terceira maior hidrelétrica do mundo, perdendo apenas para a usina Três Gargantas (China) e para Itaipu (Brasil-Paraguai).

A hidrelétrica de Belo Monte propõe o barramento do rio Xingu com a construção de dois canais que desviarão o leito original do rio, com escavações da ordem de grandeza comparáveis ao canal do Panamá (200 milhões m3) e área de alagamento de 516 km2, o equivalente a um terço da cidade de São Paulo.

Protesto indígena contra a construção da usina de Belo Monte

Fontes:http://www.problemasambientais.com.br/

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Segunda Guerra Mundial

por João,


     A Segunda Muerra mundial foi o maior conflito que já aconteceu na história. Ocorreu de 1939 a 1945, abrangendo a maioria dos países e territórios mundiais, ela foi devastadora. É difícil calcular quantos foram os mortos nessa terrível guerra, mas estima-se de que, ao  todo, 60 milhões de pessoas tenham morrido, sendo 40 milhões civís, por conta da perseguição nazista e outros fatores como fome bombardeios entre outros.

     Em 1930 a Alemanha, Itália e Japão formaram o Eixo com o objetivo de expandir seu território e fugir da crise econômica. E, então, a guerra começa com o ataque dos alemães sobre a Polônia, imediatamente sendo revidado pela Inglaterra e França que após um tempo formaram o grupo dos aliados, unindo a maioria das nações mundiais, incluindo o Brasil.


     Até que em 2 de setembro de 1945 a guerra acaba, Hitler se suicida e o Japão assina um documento de rendição.Mas, ao meu ver, o que mais marcou a segunda guerra mundial foi a crueldade do Holocausto feito pelos nazistas, matando cerca de 6 milhões de judeus, 300 000 deficientes, 25 000 homossexuais entre muitos outros.



Fonte:  pt.wikipedia.org/wiki/Segunda_Guerra_Mundial
          www.suapesquisa.com/segundaguerra/

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Designer cria travesseiro que acende no escuro

por Daniel,

O Luminube fica ligado à tomada e pode ser controlado pelo iPhone.
 
Ler na cama antes de dormir sem tem que se levantar ou se esticar para a apagar a luz depois. Isso é possível se você usar o Luminube, um travesseiro com luzes internas, criado pelo designer Takanori Matsukobo.
Sempre gostei de tecnologia, essa ideia achei muito legal,pois para quem não quer levantar da cama para apagar a luz, é tudo de bom!!

Para que as luzes de LED sejam acessas, o travesseiro precisa estar ligado à tomada. O controle da luz pode ser feito por meio de um iPad, iPhone ou iPod. A ideia do Luminube surgiu depois de Takanori Matsukobo observar que, ao se colocar um iPod debaixo do travesseiro no escuro, o ambiente ficava iluminado.
Ô problema é ter um ipod,iphone ou ipad, muito caro ainda.
O projeto foi um dos destaques do prêmio internacional de design James Dyson, que visa celebrar, encorajar e inspirar as novas gerações de designers de engenharia.

O Luminube ainda está em desenvolvimento e não tem previsão de venda.

Fonte: Diário Catarinense-10-11-2011

terça-feira, 15 de novembro de 2011

SWU

por João,

 
         O SWU (do inglês Starts With You, Começa com Você) é um festival musical novo, que possue apenas duas edições, e todos no Brasil, que visa à conscientização e sustentabilidade, fazendo com que toneladas de lixo produzido no próprio festival fossem coletados e reciclados.

         A primeira edição, que aconteceu em Itú, São Paulo em 2010, recebeu bandas como: Joss Stone, Avenged Sevenfold, Linkin Park, Kings of Leon, Rage Against The Machine entre outros.

         A edição atual aconteceu nos dias 12, 13 e 14 de novembro em Paulínia, São Paulo e recebeu estrelas como: The Black Eyed Peas, o rapper Snoop Dogg, o brasileiro Marcelo D2 entre outros.




Fonte: www. Wikipedia.com.br

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Proclamação da República

por João,

    No próximo dia 15 de novembro será feriado nacional, mas pouca gente sabe do que se trata esse feriado. 


    Nesse dia é comemorado a Proclamação da República do Brasil. Proclamação? República? O que são esses nomes que muita gente não sabe ao certo?  


    Bom, vamos começar do começo, República é um sistema de governo, no qual o chefe de Estado é nomeado através de uma eleição. O Brasil, atualmente, vive uma república, mas nem sempre foi assim. 


    Antes de ser uma república o Brasil foi uma monarquia, onde o  chefe de estado era nomeado através da hereditariedade. As eleições ocorriam para o cargo de deputado, o voto era censitário. Pouco antes de sua queda, esta monarquia estava perdendo forças por uma série de fatores, como por exemplo: desavenças com a igreja católica, perda de apoio político dos grandes fazendeiros por causa da abolição da escravatura, bem como do exército desprestigiado pelo governo.


    Até que em 15 de novembro de 1889 houve um golpe militar que acabou com a monarquia no Brasil, e então, foi proclamada, na Praça de Aclamação (Atual Praça da República), no Rio de Janeiro, a República dos Estados Unidos do Brasil, e assumiu o poder de presidente da República, Marechal 
Deodoro da Fonseca. E no mesmo dia, foi constituído o governo provisório, sendo todos eles membros da maçonaria.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Quarta ponte!!

por Daniel Igiski Baron,

 O sonho de quem mora em Floripa,como eu, há 14 anos é poder ir e vir de um lado para outro de uma forma tranqüila e rápida, para não perder tempo e aproveitar o que a nossa ilha linda tem para nos proporcionar como as nossas belas praias, andar de skate e de bicicleta em lugares planejados para isso.

Pois hoje olhando um site da internet,vi o projeto da 4ª ponte, que ligará  a Ilha ao Continente. Na imagem acima, você pode conferir a reprodução da maquete, ligando a Beira-Mar Norte até o Bairro Estreito.

Fiquei muito animado, pois há anos ouço meus pais falarem da dificuldade de mobilidade  na nossa cidade, e com essa ligação,e mais transporte marítimo com certeza poderemos aproveitar melhor nossa cidade e receber  melhor os turistas.


domingo, 6 de novembro de 2011

O que fizemos com as nossas diferenças?

Por Maria Eduarda Barcelos,

O livro “Diário de um banana” com a autoria e ilustração de Jeff Kinney, que foi lançado em 2007, conta sobre um menino chamado Greg Heffley, que só escreve um diário para quando for famoso não precisar ficar repetindo sua história, ele que vive em uma família, vamos dizer não muito agradável, em que os pais sempre tentam fazer o que é justo, mas muitas vezes não conseguem, tem um irmão mais velho, Rodrick, em que está sempre irritando ele (não perde uma oportunidade), e outro irmão mais novo em que ele tenta descontar tudo que Rodrick faz com ele, mais isso na maioria das vezes não acaba muito bem pro seu lado.

Ele acaba de entrar para o 6° ano, o temido ensino fundamental, e não se da nada bem ali. Ele faz uma lista dos mais populares da escola, e infelizmente não está muito bem posicionado, mais seu grande objetivo do ano é subir de “nível”, mas com seu melhor amigo Rowley Jefferson não vai ser nada fácil cumprir com essa meta, pois ele é uns dos piores colocados nessa tal lista, e pelo fato de ele ser muito criança para estar no ensino fundamental.

Um dia do nada na escola de Greg, ninguém sabe quando e nem o porquê, apareceu um queijo no meio da quadra, e ninguém tirou (consequentemente com o tempo esse queijo foi apodrecendo) e depois de anos  esse queijo foi tocado e então formou-se a lenda do toque do queijo, a pessoa que tocasse no queijo tinha que passar para outra pessoa (se tocasse em alguém que tinha o toque do queijo, já o pegava) se não era totalmente excluído pela escola inteira. Um dia quando Greg e Rowley faziam a educação física uns adolescentes bem maiores que eles, fizeram Rowley comer um pedaço do queijo amaldiçoado, então quando parte da escola soube do que estava acontecendo foram todos para a quadra e já começaram a julgar Rowley, pelo toque do queijo, mais Greg vendo que ser popular, com o preço de perder o amigo não seria interessante, e constatando que seu amigo ia ficar muito mal, falou que ele que tinha comido o queijo, assumindo assim a “maldição”.

O filme “Diário de um banana” não tem muita diferença, mas o filme mostra muito mais a sua vida escolar, suas dificuldades e as amizades que ele formou ali, um exemplo é de uma menina que estava no 7° ano e achava tudo aquilo ali uma palhaçada e era totalmente excluída pelo resto de sua turma ela só conseguiu sobreviver ali passando o ano todo em baixo de uma arquibancada lendo livro.

Em minha opinião a atitude de Greg foi muito bacana em querer proteger seu amigo não ligando para o que todos iam dizer, pois pelo que parece na escola em que eles estudavam, a prática de Bullyng era normal no dia a dia daqueles estudantes, pois eles não se importavam se o colega ia ficar mal ou não, apenas faziam. Será que isso não acontece ainda em nossas escolas? Será que as atitudes não são bem parecidas? Devemos pensar melhor em nossas atitudes quando estas envolvem outras pessoas e a nós mesmos, pois para mantermos um ambiente saudável devemos acima de tudo respeitar as diferenças.