terça-feira, 31 de maio de 2011

Bullying, não se faz.


por Vitória  Bastos
 
Todos nós esse ano já ouvimos falar pelo menos uma coisa se quer sobre bullying. Já virou moda, pois qualquer coisa todos falam... é bullying. As pessoas levam isso na brincadeira, mas não é.
  Na infância, na escola muitos sofrem e ficam com aquela mágoa, e depois de anos resolvem se vingar. Podemos ver o caso de Wellington Menezes de Oliveira, traumatizado na infância por seus colegas de escola, Wellington não conseguiu esquecer seu passado. Então no dia 7 de abril desse ano, ele se passa por palestrante na Escola Municipal Tasso da Silveira do Rio de Janeiro, matando 12 crianças e deixando várias outras crianças.
  Esse foi um exemplo de  vários casos de sofrimento por causa do bullying. Então se você pratica, para já com isso antes que seja tarde de mais, ou se você observa uma pessoa sendo vítima não de as costas para ela, pois um dia pode ser você.

Brasil, um país grande com problemas básicos


por Felipe Till

    Bom pessoal, neste texto irei falar como um país que tem uma das maiores economias do mundo, pode ser tão precário em aspectos básicos.
         O Brasil hoje em dia é a 7° maior economia do mundo, mas continua sendo classificado como um país subdesenvolvido, isso porque ele não consegue solucionar os problemas básicos de um país como: Acesso à saúde, alfabetização e até direitos iguais para todos.
         Este processo todo vem de muitos anos atrás, quando o Brasil ainda era uma colônia de exploração, ou seja, possuímos todas estas precariedades porque o país que naquela época estava nos colonizando, não deixava o Brasil se desenvolver. A metrópole retirava todas as riquezas do Brasil e, ao mesmo tempo o impedia de se desenvolver industrialmente.
         Com o fim da colonização, deixaram o Brasil em situação muito precária: Terras para serem cultivadas, nas mãos de poucos;  problemas no setor de transporte, entre outras coisas.
         Depois de muito tempo, quando o Brasil já havia deixado de ser uma colônia de exploração é que iniciamos nossa industrialização (décadas de 1950 e 1960). Enquanto o Brasil estava iniciando sua industrialização, o mundo (alguns países desenvolvidos)  já estavam realizando a sua 3ª Revolução Industrial.
         Isso tudo contribuiu para o Brasil, nos tempos de hoje, estar no estado em que se encontra (acesso precário a saúde, direitos iguais a todos,etc.), além de muitos políticos corruptos que impedem que o nosso país cresça.
         Então gente o que eu tinha para dizer era isso, este texto foi uma ideia que me veio na mente pelo fato de na aula de Geografia nós estarmos estudando os países subdesenvolvidos, o que me incentivou a escrever sobre isso. Era isso, até mais.

sábado, 28 de maio de 2011

CIÊNCIA OU RELIGIÃO

por Nathália Lima,


     Duas realidades diferentes impostas ao homem.Cabe a nós escolher em qual devemos acreditar.Alguns dizem que o mundo saiu de uma explosão chamada "big bang", e outros dizem que Deus o criou em apenas sete dias,são teorias tão diferentes que é impossível dizer qual é a certa.
     Muitos tentam explicar o mundo em fatos científicos, com fatos reais,que eles pesquisam,enquanto a igreja tenta mostrar que a fé pode curar e explicar tudo. Há certos momentos em que podemos duvidar tanto de uma quanto de outra, por exemplo, como de uma partícula pode surgir o mundo como ele é hoje? Ou,como pode curar doenças? Por isso é inevitável que haja um tipo de rixa,disputa,explicita entre esses dois modos de pensar.
    Mas também existem muitos cientistas que tentam explicar a vida de Jesus Cristo, para tentar entender um pouco mais da existência de todo o mundo.
   Agora eu me pergunto, existem cientistas que são contra as religiões, cientistas que são a favor e cientistas que não tem nada a declarar?
    Bom, isso tudo depende do ponto de vista ou da crença de cada um.
 
Créditos:http://universouniversal.wordpress.com/2011/05/15/ciencia-moderna-na-biblia/

quinta-feira, 26 de maio de 2011

A vida sobre quatro rodas

por Felipe Till,

Aposto que você ja ouviu falar a palavra skate, não?
Bom, o skate surgiu na Califórnia, por volta do início da década de 1960.
O skate pra quem não sabe é considerado um dos esportes mais radicais do mundo.
 Isso tudo aconteceu quando os surfistas queriam achar um modo de se divertirem quando as ondas estivessem fracas.
Foi então nessa necessidade de encontrar algo para se divertirem que eles tiveram a ideia de colocar rodinhas de patins na parte inferior de uma tábua de madeira, foi então a partir desse momento que surgiu o skate. A prancha de madeira foi chamada de "shape".
Não demorou muito para o skate ser considerado um esporte, e em 1965 foram fabricados os primeiros skates e organizados os primeiros campeonatos.
 O maior skatista de todos os tempos foi Tony hawk, que até hoje influência muitos jovens que tem o desejo de se tornarem skatistas, existem até jogos de skate onde Tony é o principal protagonista deles. Hoje os melhores skatistas do mundo são dos Estados Unidos e do Brasil.
  As competições de skate normalmente duram dois dias. No primeiro dia os skatistas são avaliados pelos juízes pela a sua performance na realização das manobras e com isso são classificados os finalistas para o segundo dia. No segundo dia, que é a final, os skatistas tem duas chances de apresentar o percurso, e o competidor que se sair melhor, segundo os jurados, e acumular mais pontos, será o campeão.
  O skate é considerado um esporte radical que requer equilíbrio. O skate pode ser praticado em qualquer lugar asfaltado tais como: parques, ruas, clubes, com pistas apropriadas para a prática deste esporte.
  Por ser um esporte radical não podemos nos esquecer de que, também é um esporte perigoso, por isso é importante o uso das proteções para a prática devida do skate.
 Bom pessoal é isso. Vocês poderão ver um vídeo mostrando alguns dos maiores skatistas do mundo praticando esse esporte.
 Abraços.


Créditos:
http://www.myfreewallpapers.net/games/pages/tony-hawk-american-wasteland.shtml, acessado em 26/05/11

sábado, 7 de maio de 2011

A cor da pele!


por Felipe Till,
 Irei falar sobre um assunto realmente triste e que acontece até hoje. É sobre o preconceito racial, a diferença da cor da pele e o modo das pessoas julgarem umas as outras simplesmente por causa da coloração das outras pessoas.
         Vemos no nosso dia a dia o preconceito racial entre as pessoas, isso acontece principalmente em relação aos negros, que na maioria das vezes são discriminados e são até julgados como ladrões ou como sendo de uma classe inferior. Isso é algo muito sério, pessoas julgando umas as outras simplesmente pela cor da pele, e não há como negar isso, a cor da pele influencia muito na hora de arranjar um emprego ou até no acesso das universidades, os negros são deixados em segundo lugar, ou seja, os brancos são mais favorecidos em relação a isso. Pois na maioria das vezes os negros são deixados de lado simplesmente por serem NEGROS, irônico isso não?!
         Isto é algo que me deixa impressionado porque não acontece só com os negros, acontece com todas as raças. As pessoas que julgam as outras simplesmente pela cor da pele deveriam parar para pensar e refletir sobre o que estão realmente fazendo, pois imagine se isso estivesse acontecendo com elas? Como elas se sentiriam em relação a isso? Será que também não iriam se sentir inferior as outras pessoas por estarem sendo julgadas dessa maneira?
         Não deveríamos julgar as pessoas simplesmente pela cor da pele, devemos ao menos dar uma chance para elas mostrarem quem são realmente, pois o preconceito racial influencia muito na vida de uma pessoa, até no que ela irá ser quando crescer se isso acontecer ainda na infância. Não estou dizendo que se  ao menos fossemos mais solidários o preconceito racial irá deixar de existir, estou dizendo que se ao menos tentássemos ser mais HUMANOS ao menos não existiria tanta guerra entre as pessoas e nem tantos conflitos.
         Bom isto é o que eu queria passar para as outras pessoas e por enquanto é isso, até mais.
 Créditos:
http://treeofhopes.blogspot.com/2010/04/preconceito-racial-e-igualdade-juridica.html